Pragmático QB

Pragmático QB

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Subjectividade vs Factualidade











O assunto que trago hoje é algo que já foi esmiuçado até ao osso um pouco por toda a Bluegosfera, não tendo eu fugido a essa mesma análise como são exemplos disso os textos escritos em Fevereiro e Março deste ano. A Nação Portista está claramente dividida, os mais cáusticos e derrotistas tem descarregado armas, atirado pedras, calhaus, facas, televisões e rádios antigos que já não funcionam, em cima do nosso Mister a propósito de uma época, que segundo eles, foi desastrosa ao nível dos títulos. Frases do género, "o boi do basco não percebe um corno disto" foram ditas quase desde Agosto do ano passado, até ao dia de hoje. Pelo contrário, os restantes Adeptos Azuis e Brancos, os realistas e esperançados numa próxima época ganhadora, têm defendido o Mister com unhas, dentes e muitos textos, como se de um irmão/irmã mais nova se tratasse. Eu incluo-me nos esperançados.

Lopetegui pode assumir ou não, isso é problema dele, mas é óbvio que teve a sua parte de culpa em alguns jogos que não foram e deveriam ter sido ganhos pelo Porto, nomeadamente o jogo da Taça de Portugal contra o Sporting que ditou o nosso afastamento da prova. Neste jogo o Mister fez-me lembrar aqueles jogadores que antes de receber a bola, já estão a pensar no que vão fazer a seguir e quando a bola chega, deixam-na escapar pela linha lateral. Lopetegui não menosprezou o jogo da Taça, como os cáusticos afirmam, Lopetegui pensou no Bilbao antes de pensar no Sporting. Assumiu o risco com algumas mudanças na equipa, foi eliminado em casa contra um rival directo e 3 dias depois ganhou aos Bascos no Dragão e somou 7 pontos em 9 possíveis. Valeu a pena? Talvez não, mas o que resultou daí foi um afastamento da 2ª maior prova nacional e uma Champions muito bem encaminhada.

A história da Taça da Liga é diferente. O Mister desde o inicio optou sempre por onzes que juntavam parte da equipa titular, a segundas escolhas e Equipa B. O risco foi assumido desde o inicio mas aquele célebre jogo em Braga mudou a forma como todos os Portistas passaram a encarar esta competição. Era para ganhar. O Porto chegou às meias-finais sem espinhas mas foi derrotado por um Marítimo que pouco ou nada fez para sair dos Barreiros com a vitória. A equipa facilitou e deu-se mal com isso.

Isto tudo para chegar ao campeonato, porque é esse o objectivo deste pragmático texto. Mais uma vez os cáusticos afirmam que Lopetegui e a equipa não entenderam a rivalidade e importância dos jogos contra o Benfas. Brincamos? Os capitães Hélton, Maicon, Jackson, Danilo, Quaresma e Alex Sandro com pelo menos 3 "anos de casa" não entendem o que é jogar contra o nosso maior rival? Lopetegui viveu numa gruta até chegar a Portugal e desconhece o valor de uma vitória contra o Benfas? Não me parece. Acredito que o Porto não ganhou nenhum jogo devido à experiência, ou falta dela, neste caso. O Benfas é uma equipa rodada, manhosa, experiente e fez uso disso contra o Porto.

A falta de experiência foi sobressaindo ao longo da época em vários jogos e a partida da Choupana é um bom exemplo disso. O Porto tinha de ganhar aquele jogo fosse de que maneira fosse. Estoril fora e Boavista em casa, foram 2 jogos em que podíamos e deveríamos ter ganho mas empatamos ambos. Pusemo-nos a jeito em alguns jogos mas é inegável que também nos puseram a jeito. Erros foram cometidos por treinadores e jogadores mas não há como fugir à imagem de cima. O #colinho aconteceu, é uma realidade e não uma campanha de marketing. O Benfas numa fase menos boa da época, numa altura em que o rolo compressor, era um rolo de papel higiénico, teve aquele pequeno grande empurrão que lhes permitiu embalar e navegar em cima de uma distância para o Porto. Não querendo esmiuçar erros de arbitragem jogo a jogo, dou apenas 2 exemplos óbvios que fariam com que a tabela classificativa fosse "ligeiramente" diferente nesta altura - o Benfas ganha ao Gil Vicente em casa por 1-0 com um golo precedido de fora-de-jogo vs o Porto empata em Guimarães 1-1, depois de lhe ter sido anulado um golo limpo a Brahimi por suposto fora-de-jogo. Nestes 2 casos, e ao contrário de lances de penálti, mão na bola ou bola na mão e restantes faltas, não há subjectividade. São 2 factos que nos colocariam a nós com mais 2 pontos e ao Benfas com menos 2, alternando assim a classificação.

Rui Santos, não é adepto do Futebol Clube do Porto, assim como nunca demonstrou especial carinho e afecto pelo nosso clube. Desde o inicio da época elaborou a chamada "Liga Real" que reflecte as diferenças pontuais entre a Classificação actual e uma Classificação que engloba todos os erros de arbitragem que influenciaram resultados. Eu referi 2 jogos e 4 pontos mas o isento Rui Santos fala numa diferença que no caso do Benfas deveria ser de menos 6 pontos e no nosso caso de mais 4, ou seja 10 pontos de diferença entre o deve e o haver. Para concluir e como recado para todos os portistas causticos e derrotistas, entendam e percebam que foram cometidos inegáveis erros por jogadores e treinador ao longo da época, mas é também inegável que este campeonato foi manchado por erros de arbitragem que fazem com que a classificação tenha sido completamente desvirtuada. Nem o Benfica foi o rolo compressor que todos querem fazer crer, nem o Porto foi o manta de erros e retalhos que resultou em zero títulos nesta época.

6 comentários:

Anónimo disse...

Mais um que acredita no Pai Natal....
Pedro

Rui Rodrigues disse...

Caro Pedro, qual o mal de acreditar no velhote de barbas brancas?

Grande abraço.

Saudações Portistas.

Miguel Lima disse...





@ Rui

fantástico texto, o qual subscrevo. na íntegra.
(pois que também eu me sinto «alopeteguisado» :D )

e deixa para lá os velhotes do Restelo, que eu ainda acredito no coelhinho da Páscoa - sobretudo das coelhinhas, suas amigas do peito :D

abr@ço
Miguel | Tomo III


Jorge Vassalo disse...

Meu caro Rui,

Pese embora concorde consigo, deixe-me só relevar alguns pontos que me parecem importantes.

O jogo da Taça - Estou convicto que a prioridade máxima - totalmente conseguida - da época era a Champions. E claro que valeu a pena. O próximo R&C assim o vai demonstrar, aposto.

Os clássicos com o benfas- Com a "liga real" em uso, a essa altura estaríamos à frente e não haveria contra-ataques nem livres patetas. Esse foi um dos piores jogos do Fabiano, jogo em que dominamos completamente. Mesmo assim não isento de casos! E Jackson, como sempre, claudicou nos jogos importantes. No Dragão como, posteriormente, com o Marítimo.
No jogo da Luz, depois de uma derrota daquelas, contenção era necessária. As substituições da segunda parte foram as correctas, mas ninguém tem culpa que Quaresma e Herrera não tivessem...alguma coisa... para dar mais. E Jackson, uma vez mais, falhou na cara do golo.

A Taça da Liga foi um dos casos sintomáticos do que tem de mudar no próximo ano. Não podemos ter mais atitude, garra e Portismo na lateral do que no relvado. A atitude passiva dos jogadores perdeu o jogo.

Quanto ao Estoril, fomos roubados de DOIS penalties, após soberbo passe de Adrián para Brahimi, e isso também não se pode escamotear. E o facto é que, dois avançados que saibam jogar em 4x4x2 poderiam dar um excelente plano B para o FC Porto, que bem precisamos. E massacramos completamente o Estoril e mesmo assim... O Jackson falhou um grande remate no final.

Não é assim tudo tão líquido. Mas hei-de escrever sobre isso.

Abraço

Rui Rodrigues disse...

Jorge:

Como eu costumo dizer inúmeras vezes, não sou sócio do clube por isso contas, valores de transferências e rendimentos de Champions pouco ou nada significam para mim, um adepto comum e como tantos outros.

Por isso custa-me sempre perceber que se abdicou da possível conquista de uma Taça em detrimento de mais 1/2 milhões.

Grande abraço.

Saudações Portistas.

Miguel Lima disse...


«
Por isso custa-me sempre perceber que se abdicou da possível conquista de uma Taça em detrimento de mais 1/2 milhões.
»

o próximo R&C vai demonstrar que esses dois milhões foram multiplicados dez vezes mais, no mínimo.
curiosamente o vencedor da Taça de Portugal arrecada no máximo 1M€.

assim e no meu entendimento, e sem desprimor para a competição, mas, este ano e depois do que aconteceu na última época, que se lixe a Taça.

abr@ço
Miguel | Tomo III