Pragmático QB

Pragmático QB

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Dinamo Kiev 2 - FC Porto 2 - 16.09.2015 - Liga dos Campeões

Dinamo e Benfica, num jogo só.

Como encarar o 1º jogo de Champions antes de um Porto-Benfica? Pergunta difícil de responder e principalmente, equação difícil de pôr em prática. Lopetegui optou por mexer novamente na equipa, em parte a pensar no clássico - acredito que Imbula e Corona serão titulares contra o Benfica - e por outro lado, com o maior povoamento do meio campo, conseguia estancar o poder físico ucraniano. Danilo, Herrera, Rúben e André preenchiam um meio campo musculado, Brahimi jogava solto na frente no apoio ao nosso Aboubakar. Jogando fora e sendo fundamental não perder, foram opções que a mim, comum mortal e portista sem curso de treinador, me pareceram adequadas. Estivemos a perder, empatamos e passamos para a frente numa altura em que a maioria dos portistas não acreditaria que fosse possível não ganhar o jogo. O Dinamo empatou num lance, que salvo melhor explicação, me pareceu irregular. Se o pinheiro ucraniano que está à frente do Casillas "não interfere no jogo" ou "não influencia o adversário", não entendo puto de futebol.


Num estádio cheio e ruidoso, o Porto entrou de forma tranquila no jogo e foi o Casillas a provocar o primeiro acelerar cardíaco, depois de largar uma bola num cruzamento ucraniano. A espécie de 4-4-1-1 com que o Porto entrou em campo, permitia muita troca de bola entre os 5 jogadores de meio-campo e também cortar à nascença quase todos os contra-ataques do Dinamo e digo quase todos porque aos 20 minutos não fomos capazes de matar a jogada do golo. A meu ver, erro mais colectivo do que individual. O Indi não vira o ucraniano e a partir daí toda a equipa portista se concentra unicamente na bola, destapando e não conseguindo compensar o flanco oposto. O golo foi um pequeno arranhão, porque 3 minutos depois, o Porto empata num lance que teve tanto de simples, como de eficaz. O jogo foi sempre equilibrado até ao final da 1ª parte e o único momento de perigo surgiu na baliza portista, com o Casillas a fazer uma defesa vistosa. O Porto é melhor que o Dinamo, penso que toda a gente percebeu isso mas na 2ª parte foi preciso passar da teoria à pratica. A equipa tomou conta do jogo e Lopetegui voltou ao habitual 4-3-3 quando trocou o Tello pelo Herrera mas foi o Dinamo a criar novamente perigo num remate desviado para canto por Maicon. O Porto respondeu da mesma forma por Corona, a bola é defendida para canto e na sequência desse mesmo canto, o Porto passa novamente para a frente numa bolacha do Aboubakar. O Dinamo levou a mal o bis do camaronês mais cool do mundo, foi parra cima do Porto e acaba por empatar num golo de caca para não dizer merda. Curiosamente, e tal como na época passada em que empatamos com o Shakhtar a 2 golos, voltamos a empatar fora com uma equipa ucraniana pelos mesmos números.

Segue-se o Chelsea em casa e sinceramente, não me deixo enganar pelo mau momento dos ingleses. No futebol, maus e bons momentos, são relativos. O Chelsea é superior ao Porto seja em que momento for, o que não invalida que o Porto em casa possa derreter os azuis de Inglaterra. O ano passado começamos com uma vitória em casa com o Bate (6-0) e um empate fora com o Shakhtar (2-2) e se ganharmos em casa Chelsea, ficaremos exactamente com os mesmos pontos que na campanha anterior. No outro jogo era de valor o empate entre israelitas e ucranianos.


Aboubakar - O MVP da partida. Recentemente, Licha, El Tigre e Cha Cha Cha marcaram muito e fizerem história no ataque portista. Para além de serem todos grandes avançados, tinham em comum o facto de serem sul-americanos. Desta vez temos um menino camaronês que deu os primeiros passos num clube chamado Cotonsport, e que rapidamente nos vai conquistando. Ontem marcou mais 2 golos plenos de oportunidade e depois festeja daquela forma, quase que a pedir desculpa por ser tão bom. Temos ÍDOLO.
Maicon - Viu o amarelo muito cedo de uma forma displicente mas não se envergonhou com isso e fez um belo jogo. A braçadeira fez-lhe bem mas o Marcano faz-lhe melhor que o Indi. Está muito forte nos passes longos e num deles, chegamos ao 1º golo.
Láyun - Não me impressionou com o Arouca mas ontem deixou outra imagem. Apesar do handicap de ser destro jogando à esquerda, vem muito bem para dentro e parece-me forte a cruzar. A defender não me parece tão forte, mas consegue fazer os 90 minutos a fazer piscinas.


Indi - Quando vejo o Indi a jogar, percebo o porquê do Porto ter procurado um central neste Verão. Maicon e Marcano são claramente os donos do lugar, Reyes foi ganhar calo para Espanha, Lichnovsky está a rodar na B e era importante encontrar uma alternativa credível aos M&M's. Infelizmente, Indi não me parece esse jogador.
Casillas - Tento sempre ser coerente quando falo de futebol. Ponto. Nunca gostei do Casillas. Ponto. Soube que vinha para o Porto e lembro-me de dizer "só se for para chegar a toalha ao Hélton". A época oficial começou à sensivelmente um mês e não me orgulho de manter a mesma opinião. Continua inseguro como sempre foi, continua com medo de sair de baixo dos postes como sempre teve, continua com aquele semblante de pânico e tristeza, que contrasta com a atitude confiante e feliz do Hélton.
Arbitragem - Quando vejo e ouço lagartos e mouros queixarem-se da arbitragem nos jogos europeus, penso para comigo "coitados, não estão habituados a este tipo de jogos e por isso não sabem como tudo funciona". A verdade é só uma, nós, equipas portuguesas, somos as putas da UEFA, somos o Penafiel, Arouca, Académica lá do sitio, em caso de duvidas vamos sempre ser prejudicados. Ontem o Felix, não nos tendo vilipendiado, também não nos fez favor nenhum durante o jogo todo.





2 comentários:

Miguel Lima disse...


@ Rui

gostei muito da tua análise ao jogo.
concordo com tudo o que escreveste, excepto em relação ao Casillas. eu sou dos que ainda se belisca por achar que o redes espanhol faz parte do plantel galáctico do Real..

abr@ço forte
Miguel | Tomo III

Rui Rodrigues disse...

Olá Miguel.

Sobre o Casillas, sempre o achei o guarda-redes mais overrated do mundo. É um jogador na linha do Valdés e do Reina, mas com muito melhor imprensa, fruto de muitos anos de Real Madrid. Agora se me falares num Buffon, a conversa é outra.

Saudações Portistas.

Grande Abraço.